Click here for search results

Mensagem do Presidente

Estamos em um momento auspicioso da História.Graças aos sucessos das últimas décadas e a umpanorama econômico favorável, os países emdesenvolvimento têm hoje uma oportunidadesem precedentes: a chance de erradicar a pobrezaextrema em uma geração. Esta oportunidade nãopode ser desperdiçada

No início deste ano, o Grupo Banco Mundial estabeleceu dois objetivos específicos e mensuráveis para nós próprios e para nossos parceiros da comunidade do desenvolvimento: erradicar efetivamente a pobreza extrema reduzindo para 3% até 2030 a parcela da população que vive com menos de US$ 1,25 por dia e promover a prosperidade compartilhada por meio do aumento da renda dos 40% mais pobres da população de todos os países em desenvolvimento.

São objetivos ambiciosos e o sucesso está longe de ser garantido. Em 2008, quase cinco anos após o início da crise financeira global, a recuperação econômica do mundo permanece frágil. Os países desenvolvidos lutam contra o alto desemprego e o fraco crescimento econômico. Os países em desenvolvimento estão crescendo mais lentamente do que antes da crise. Ademais, a luta contra a pobreza tornar-se-á cada vez mais difícil à medida que nos empenharmos no nosso objetivo, já que aqueles que permanecerem na pobreza serão os mais difíceis de alcançar.

Outros desafios podem representar novas ameaças à redução da pobreza. O conflito e a instabilidade política representam grandes riscos, pois aumentam a pobreza e criam obstáculos de longo prazo ao desenvolvimento. Além disso, um planeta em aquecimento pode aumentar a prevalência e a dimensão das áreas afetadas pela seca e tornar mais frequentes os eventos climáticos extremos, com custos imprevisíveis em termos de vidas e recursos financeiros.

Contudo, continuo otimista e sei que a realização deste objetivo está ao nosso alcance. Para tanto, será necessária a colaboração sistêmica e inflexível do Grupo Banco Mundial, dos nossos 188 países membros e outros parceiros.

Para vencermos os desafios ao desenvolvimento que estão por vir, teremos que encontrar e alavancar as sinergias do Grupo Banco Mundial e concentrar nossos recursos nas áreas prioritárias. Este ano, o Grupo Banco Mundial destinou US$ 52,6 bilhões em empréstimos, subvenções, investimentos de capital e garantias a seus membros e às empresas privadas. Os compromissos do BIRD totalizaram US$ 15,2 bilhões, em comparação com US$ 20,6 bilhões em 2012. A AID, o fundo do Banco Mundial para os mais pobres, assumiu compromissos de US$ 16,3 bilhões, em comparação aos US$ 14,8 bilhões de 2012.

Este Relatório Anual descreve os vários programas e projetos apoiados pelos empréstimos do Banco Mundial e demonstra de que modo eles estão ajudando a erradicar a pobreza extrema e a promover a prosperidade compartilhada em países parceiros de todo o mundo.

Melhorias em energia, meio ambiente, infraestrutura, saúde e educação, bem como no ambiente de negócios dos países, representam desafios difíceis e complexos. Tomemos os empregos, por exemplo. Como descreve o Relatório do Desenvolvimento Mundial 2013, os empregos podem oferecer um caminho transformacional para homens, mulheres e jovens saírem da pobreza. Além de renda pessoal, os empregos podem proporcionar grande valor à sociedade por intermédio de sua ampla influência sobre os padrões de vida, produtividade e coesão social. E como quase nove em cada dez empregos criados no mundo em desenvolvimento vêm do setor privado, o Banco Mundial continuará a trabalhar com seus parceiros dos setores privado e público, bem como a sociedade civil, para ajudar a estimular a forte criação de empregos liderada pelo setor privado, necessária para reduzir a pobreza e criar a prosperidade compartilhada.

Mas não basta apenas alcançar nossos objetivos de desenvolvimento. Para que esses objetivos sejam realmente transformacionais e duradouros, o Banco Mundial procurará alcançá-los de maneira sustentável do ponto de vista ambiental, social e econômico. Os dois volumes de Turn Down the Heat (Reduzir o Calor), por exemplo, publicados pelo Banco Mundial no exercício financeiro de 2013, ilustram os riscos consideráveis que a mudança climática representa para os ganhos de desenvolvimento. Um mundo 2°C mais quente enfrentará escassez generalizada de alimentos, ondas de calor sem precedentes e ciclones mais intensos, entre outros eventos extremos. E a situação pode tornar-se muito pior: se não houver uma ação conjunta agora, poderemos ver esse aquecimento ultrapassar a casa dos 4°C até o final deste século.

É por causa dessa ameaça que o Banco Mundial está transformando o perfil da mudança climática em questão de suma importância para o desenvolvimento. O Banco Mundial está trabalhando atualmente com 130 países para enfrentar a mudança climática e aumentou significativamente os empréstimos para projetos de adaptação e mitigação.

O Banco Mundial está comprometido em apoiar seus clientes na aplicação de soluções baseadas em evidências e específicas dos países para os desafios ao desenvolvimento. Devemos ouvir, aprender e formar parcerias com os países e beneficiários a fim de construirmos soluções de baixo para cima. Nos últimos anos, obtivemos ganhos extraordinários. Eu os incentivo a ler acerca das muitas realizações apoiadas pelo Banco Mundial mencionadas neste Relatório Anual, bem como o relatório Results 2013 no CD que o acompanha.

Vivemos um momento instigante. Os desafios de erradicar a pobreza extrema e promover a prosperidade compartilhada exigirá determinação sustentada de todos os lados. O Grupo Banco Mundial – sua liderança e as pessoas talentosas que nele trabalham – está comprometido em aproveitar ao máximo esta oportunidade sem precedentes e a ajudar a viabilizar o mundo que todos desejamos: sem pobreza e com prosperidade compartilhada para todos.

Dr. Jim Yong Kim

Presidente do Grupo Banco Mundial e
Presidente da Diretoria Executiva

Baixar
Mensagem do Presidente do Grupo Banco Mundial PDF (53KB)


« Anterior




Permanent URL for this page: http://go.worldbank.org/P1Y5C9MZY0