Click here for search results

O Banco Mundial aumenta a assistência para combater a seca e aumentar a segurança alimentar no Corno de África

Available in: العربية, Français, Español, English, 中文
News Release No:2012/088/AFR

O total de USD 1,8 bilhão visa a atender às necessidades de curto prazo de
milhões de pessoas e a financiar a recuperação de longo prazo 

WASHINGTON, D.C., 24 de Setembro de 2011 – O Banco Mundial aumentou hoje de USD 500 milhões para USD 1.88 bilhão o seu apoio aos países no Corno de África que estão a enfrentar uma das piores secas em mais de meio século, com as consequências de malnutrição, insegurança alimentar e deslocamento de pessoas. Este anúncio foi feito no momento em que a comunidade de desenvolvimento está a reunir-se sob os auspícios das Nações Unidas numa tentativa de intensificar o apoio aos países afectados.

 

“O Banco Mundial apoiará o apelo comum de acção liderado pelos órgãos humanitários das Nações Unidas, com firme apoio do Reino Unido, Austrália, Comissão Europeia, Estados Unidos e outros países. Para além disto, o nosso papel na abordagem do desastre de hoje é ajudar a reforçar a resiliência para amanhã. Uma crise humanitária não precisa nem deveria tornar-se uma crise perpétua,” afirmou Robert B. Zoellick, Presidente do Grupo Banco Mundial.

 

Mais de 13 milhões de pessoas em toda a sub-região necessitam agora de assistência humanitária imediata. Estimativas da ONU mostram que a necessidade financeira imediata e de curto prazo eleva-se a USD 2.4 bilhões. Embora os apelos internacionais tenham produzido USD 1.4 bilhão em oferecimentos, ainda resta uma lacuna de USD 1 mil milhão.

 

A alocação actualizada do Banco Mundial representa quase quatro vezes mais do que os USD 500 milhões anunciados inicialmente em Julho. A alocação baseia-se numa avaliação preliminar das necessidades feita por peritos em desastres do Banco Mundial em Djibouti, Etiópia, Quénia, campos de refugiados na Somália e Uganda.

 

Os recursos serão alocados num período de resposta de três etapas, o qual inclui: resposta rápida (USD 288 milhões) no exercício financeiro de 2012 (que termina em 30 de Junho); recuperação económica (USD 384 milhões) no exercício financeiro de 2014; e resiliência à seca (USD $1,2 mil milhão) no longo prazo. O impulso global da resposta do Banco Mundial visa a vincular a diminuição da crise no curto prazo com objectivos de desenvolvimento de longo prazo nos níveis tanto nacional como regional.

 

O anúncio de hoje vem uma semana depois que a Direcção Executiva do Banco Mundial aprovou USD 30 milhões de fundos de rápido desembolso por meio do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR) para atender às necessidades de saúde, nutrição e saneamento da população de refugiados da Somália no Quénia e na Etiópia. 

 

A resposta do Banco Mundial planeia aproveitar a estratégia da instituição para África, a qual propõe a redução da vulnerabilidade e o fortalecimento da resiliência a desastres naturais e à mudança do clima mediante a alavancagem de parcerias, conhecimentos e financiamento.

 

“Ao trabalhar com um vasto conjunto de parceiros e ao complementar os seus esforços, a nossa prioridade mais urgente é salvar vidas, restaurar rendimentos e retornar a capacidade de produção das famílias e empresas,” afirmou  Obiageli Ezekwesili, Vice-Presidente do Banco Mundial para África. “Estamos confiantes em que este pacote de respostas ajude a prevenir uma reversão dos ganhos conquistados até agora e a posicionar os países afectados num caminho para uma sobrevivência sustentável.”

 

O Corno de África enfrenta secas recorrentes tornadas mais intensas pela mudança do clima. Quando combinadas com aumento da população e rompimento generalizado da paz e estabilidade, como ocorre na Somália, prevê-se que essas condições conduzam a riscos mais intensos de conflito a respeito do acesso à água, terra e outros recursos. A crise é ainda mais aguda devido ao aumento dos preços dos alimentos no mundo inteiro, actualmente 26% mais elevados do que há um ano.

 

Em toda a região de África o Banco Mundial aumentou os investimentos na agricultura a uma média de USD 1 bilhão desde 2008. No âmbito do  Programa Amplo de Desenvolvimento Agrícola Africano, o Banco Mundial está a trabalhar com a União Africana para elevar o investimento público na agricultura a 10% do orçamento nacional ou mais nos países participantes.

 

 

Contacto:

 

Aby K. Touré (+1) 202 473 8302, akonate@worldbank.org 

François Gouahinga (+1) 202 473 0696, fgouahinga@worldbank.org 

 

 

 

Para obter informações mais detalhadas, favor visitar o website www.worldbank.org/hornofafricacrisis 

 

Visite-nos no Facebook: http://www.facebook.com/worldbank

Mantenha-se actualizado via Twitter: http://www.twitter.com/worldbankafrica

Para o canal YouTube: http://www.youtube.com/worldbank




Permanent URL for this page: http://go.worldbank.org/CS88NAUQI0